Relato de Parto da Rafaela


 

Te esperei ansiosamente.

Me preparei para sentir tudo de novo.

Não tinha medo das dores, já sabia que elas eram terrivelmente suportáveis e que assim como vinham, iam embora. E mais do que isso, a cada vez que vinham te deixava ainda mais próxima de mim.
Mas não foi assim. E não faz mal. Não importava. Nada importava, apenas que você chegasse para que eu pudesse te conhecer.
Quando entrei naquela sala eu senti medo, muito medo. Deitei numa maca tão estreita que brinquei que não caberia ali, só pra tentar descontrair e relaxar, quase impossível. Me encolhi enquanto limpavam minhas costas. Todos viram que eu tremia de medo. Uma mão quente encontrou com as minhas frias, tentando transmitir calma, quase em vão. Uma picadinha bem ardida, era apenas a anestesia local. Não senti mais nada. Em segundos minhas pernas estavam pesadas e formigando. Já pareciam não fazer parte do meu corpo.

Finalmente consegui relaxar e apenas sentir a ansiedade de ver o seu rostinho e escutar você chorar. De barriga para cima, pronta para te receber, eu apenas sentia os toques e os movimentos através de uma camada anestesiada de mim mesma, mas sem sentir qualquer dor, frio ou calor. Quando percebi, mal conseguia respirar, parecia que algo muito pesado havia sido colocado sobre meu peito. Por alguns instantes pensei que pudesse ser aquele meu último momento lúcida, mas eu estava sendo bem assistida e no outro segundo já não sentia mais aquele mal estar. Enquanto inúmeras coisas aconteciam, pessoas pra lá e pra cá, conversas sobre assuntos que eu não compreendia, sons e sinais de alerta de todos os aparelhos ligados a mim, me dei conta de que meu porto seguro ainda não estava comigo, eu temi que ele não fosse chegar a tempo de ver você nascer, mas finalmente ele chegou, ufa!

Em poucos minutos foi anunciado que você estava saindo. Não senti nada, apenas fui transbordando de amor assim que te ouvi chorar. E você chegou. Linda, tão linda que eu nem acreditava que pudesse ser minha.
Não importa como você veio, não importa como você saiu, nem quem a tirou, apenas importa você, minha pequena princesa!

Com amor, mamãe!

Fotos: Arquivo Pessoal

Previous Bebê Amarelinho: Icterícia Neonatal
Next Sobre ser Mãe de Dois: Nossos primeiros dias!

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *